Homenagem realizada pelo Jornal Nacional divide opiniões

TELEVISÃO
16/05/2020

Pelo segundo dia consecutivo, o Jornal Nacional traz em seu cenário imagens das pessoas que perderam a vida para o Coronavírus. Essa homenagem aconteceu na quinta-feira à noite quando William Bonner anunciou que agora no lugar da imagem do Coronavírus, no cenário teriam as fotos das pessoas que morreram por conta do Covid-19.

 “Desde o início da cobertura da pandemia, a imagem que ilustra o telão do Jornal Nacional tem sido a do coronavírus. A partir de hoje, estarão rostos de brasileiros vítimas da Covid. São sorrisos e olhares que podem fortalecer a mensagem que importa de verdade: a necessidade de proteger vidas”, informou Bonner.

Essas imagens dividiram opiniões. Nas redes sociais, muitos aprovaram a homenagem, mas as críticas foram inúmeras. ”Eles nunca mostram as pessoas que se recuperam”, disse uma pessoa no Twitter. “Meu Deus!! Que coisa mórbida, escreveu outra internauta. “Por o rosto das vítimas só vai fazer as famílias sofrerem mais”, lembrou outra seguidora. “Foi autorizado pelas famílias para mostrar o rosto das pessoas”?, questionou uma pessoa.

Mas a emissora também recebeu vários elogios pelo tributo. “Parabéns, bela atitude. Jornal de credibilidade. Quem não gosta é só não assistir”, disse uma seguidora na página oficial no Facebook. “Ainda bem que temos o Jornal Nacional mostrando a verdade”, postou uma telespectadora” no Twitter. “Jornal premiadíssimo. Devemos ter orgulho, isso sim”, elogiou internauta.

Repercussão na imprensa maranhense

Esse tributo feito pelo Jornal Nacional também repercutiu entre os jornalistas maranhenses. Entrei em contato com alguns colegas da imprensa em São Luís para saber o que acharam. “Chocante! Mas uma forma de deixar viva a memória daqueles que morreram por falta de informação ou por falta de estrutura de saúde. Serve como alerta também para muitos que ainda não levaram a sério essa doença”, disse o jornalista, Diego Emir, do Blog Diego Emir.

Na opinião do jornalista, Udes Filho, do portal O Quarto Poder, a homenagem seria “uma estratégia de marketing, de publicidade para promover o produto deles. O Jornal Nacional que tem sendo muito bombardeado e muito criticado nos últimos meses”.

Para a jornalista, e advogada, Aulinda Lima, ao invés de colocar pessoas que já morreram, a emissora deveria mostrar imagens de pessoas que já venceram o Covid-19e que tem uma história para contar. “Nesse momento, imagino que seja isso que a sociedade est á procurando e está precisando”, disse. Para ela, não se pode mascarar os números e que “é preciso que se faça a divulgação, mas não se faça disso o foco principal”. 

Já a jornalista, Andressa Miranda, não ver problemas nas homenagens. “Não acho apelação. A TV tem suas formas de homenagens, talvez uma forma de dimensionar o número de acometidos, geralmente as famílias que perdem seus entes queridos gostam de homenagens. Minha tia faleceu recentemente, não foi de Covid, mas cada homenagem que fazem me memória dela, eu me sinto em bem com isso”.

Para a jornalista, Josélia Fonseca, foi de muito mal gosto. "A linha editorial deles tá em mostrar o trágico. As pessoas adoecem mentalmente. Tem que mostrar o outro lado, orientar para o ínicio do tratamento e não mostrar cadáveres".

NENHUM COMENTÁRIO

ESCREVA SEU COMENTÁRIO:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ESPAÇO PARA TWITTER